Ever

Acesso Restrito

13/10/2016

Alguns estudos já têm demonstrado que o vinho, pelas substâncias antioxidantes que contém, pode ser benéfico para a saúde. Mas para além de benéfico quando bebido, também pode contribuir para a saúde só pelo cheiro.



De acordo com o estudo recente realizado pela Cleveland Clinic, nos Estados Unidos, e pela Université du Québecà Trois-Rivières, no Canadá, a capacidade de avaliar o vinho a partir do olfato também pode fazer bem à saúde, pois pode ajudar a prevenir doenças neurodegenerativas, como Alzheimer e Parkinson.



A constatação veio após os pesquisadores compararem um grupo de sommeliers – experts na bebida do deus Baco – a pessoas sem conhecimentos técnicos do líquido da uva. Por meio de questionários e de exames de ressonância magnética, foram analisadas a estrutura e as funções cerebrais dos participantes. Os resultados demonstraram que áreas do cérebro dos sommeliers ligadas ao olfato e à memória se encontravam mais desenvolvidas e ativas em relação às do grupo controle. E isso é importante porque essas regiões estão mais propensas a ser atingidas pelas demências que chegam com a idade.



Leia a reportagem completa, CLIQUE AQUI



Foto/Reprodução: nd3000/Thinkstock/Getty Images


CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR